Aposentados ocupam a Câmara Federal

Posted on 15/10/2014

0


Aposentados ocupando a Câmara Federal.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), havia marcado para terça-feira (14) uma reunião com os líderes partidários com o objetivo de discutir um acordo para votação de duas propostas de interesse dos aposentados. A Proposta de Emenda à Constituição 555/2006 acabaria com a cobrança de contribuição previdenciária de servidores aposentados. Já o Projeto de Lei 4434/2008 cria um índice de correção para garantir o reajuste dos benefícios da Previdência de acordo com o aumento do valor do salário mínimo.

O movimento Una-se convocou os aposentados e pensionistas para pressionarem os deputados na Câmara  para que as propostas sejam colocadas em pauta. O movimento integra a Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (Cobap), a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) e o Movimento Nacional dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas (Mosap), entre outras entidades. A FAPEMS esteve presente, representado por Alcides dos Santos Ribeiro.

O presidente prometeu em plenário, na abertura do Encontro Nacional de Federações e Entidades de Base, realizada no dia 19 de setembro, em Natal (RN), que colocaria as propostas em votação fazendo justiça a milhões de aposentados brasileiros. O que Henrique Alves não falou, embora já fosse de seu conhecimento, é que o projeto de acesso à biodiversidade, que tranca a pauta desde o dia 11 de agosto, ainda estaria trancando a pauta para votações dos demais projetos de lei.

Líderes do movimento indignaram-se com a falta de palavra de Henrique Alves. “Milhões de aposentados aguardam uma resposta para hoje, centenas se sacrificaram em longas viagens para estarem aqui presentes nesse momento histórico para nossa categoria, e hoje recebemos mais uma porta na cara”, criticou Warley Martins, presidente da COBAP. Ao plenário, dirigentes afirmaram que os aposentados do Rio Grande do Norte não devem confiar em Henrique Alves, que é também candidato ao segundo turno do governo do estado.

Presidenciáveis não contemplam a pauta dos aposentados

Na manhã desta quarta-feira, 15 de outubro, diversas lideranças do movimento nacional de aposentados, oriundos de federações de 16 estados, estiveram reunidos em Brasília para discutir a posição política da categoria e quais rumos tomar no segundo turno das eleições presidenciais.

De forma amplamente clara e democrática, todos puderam se manifestar e se posicionar politicamente, com direito a voz e voto.

Por unanimidade, foi decidido que a COBAP como também suas federações e associações de base, irão manter a neutralidade, não apoiando os candidatos Dilma Rousseff (PT) e nem Aécio Neves (PSDB).

Há meses, no início do 1º turno, a COBAP entregou um documento oficial a todos os presidenciáveis apresentando reivindicações básicas, tais como: fim do Fator Previdenciário, recomposição das aposentadorias e reajuste digno a todos.

A Confederação ficou no aguardo das respostas de Aécio ou Dilma. Passaram-se meses e ambos não se posicionaram, deixando claro e evidente que após a posse tratarão os aposentados com descaso ou omissão (a exemplo dos governos anteriores de FHC e Lula).

Adotando a bandeira da IMPARCIALIDADE, a COBAP e suas Federações, independente de PT ou PSDB, continuará organizando e conscientizando os aposentados a lutarem por seus legítimos direitos constitucionais, elogiando quem é digno e criticando quem merece

Tomando essa atitude firme e corajosa, a direção da COBAP mais uma vez demonstra sua maturidade e independência política e deixa claro que não se vende e nem recua diante de ameaças.

Tagged:
Posted in: Aposentados, Destaque