Centrais esperam reunir 30 mil trabalhadores no protesto de amanhã

Posted on 11/07/2013

0


As centrais sindicais e movimentos sociais estimam em 30 mil, no mínimo, o número de manifestantes no movimento “Vem pra Rua, Brasil!”, que será realizado amanhã (11) em Campo Grande. A manifestação é nacional e está sendo organizado pelas centrais em todos os Estados.

Em Campo Grande, o movimento está sendo organizado pela Força Sindical, CUT, CGTB, CTB, CSB, UGT e NCST. A Fetems, Fetagri e Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil também estão mobilizando centenas de trabalhadores para participar dessa manifestação pacífica pelas ruas de Campo Grande a partir das 9 da manhã desta quinta-feira.

A concentração, de mais de 15 mil trabalhadores, será na Praça do Rádio às 9 horas. Com carros de som, bandeiras, faixas e cartazes, eles descem pela Avenida Afonso Pena em direção ao centro da cidade, com o propósito de somar forças com os demais movimentos, em todos os Estados, por um Brasil melhor!

Idelmar da Mota Lima, presidente da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul informou que as centrais vão empunhar as seguintes bandeiras:

1 – 10% do PIB para a educação pública; 2 – 10% do Orçamento da União para a saúde pública; 3 – Que as reduções de tarifa do transporte não sejam acompanhadas de qualquer corte dos gastos sociais; 4 – Fim do Fator Previdenciário; 5 – Demarcação de Terras indígenas; 6 – Democratização da comunicação; 7 – Redução da jornada de trabalho para 40 horas, sem redução salarial; 8 – Valorização das aposentadorias; 9 – Reforma agrária; 10 – Suspensão dos leilões do petróleo; 11 – Contra o PL 4330, da terceirização e 12 – Reforma política.

Pacífica – José Lucas da Silva, representante da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), em Mato Grosso do Sul, disse que a manifestação será pacífica, numa demonstração de força da classe trabalhadora do Estado. “Não admitimos e não toleramos ações de vandalismo em manifestação dessa natureza”, afirmou.

O advogado e professor Ricardo Martinez Froes, presidente regional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil – CTB, também reforçou a importância do movimento sindical e social de MS nessa demonstração de força da classe trabalhadora sul-mato-grossense. “Exigimos mudanças urgentes e imediatas, que possam atender aos anseios de uma Nação cansada de corrupção e impunidade”, afirmou.

Estevão Rocha dos Santos, diretor da Força Sindical regional MS, e presidente do Seaac/MS (sindicato dos empregados autônomos do comércio e serviços), estende o convite a toda população para participar dessa manifestação pública na quinta-feira, dia 11 de julho, a partir das 9 da manhã na Praça do Rádio. “Vamos, todos, dizer NÃO a promessas, discursos e projetos que adiem as necessidades e evidentes providências”, afirmou.

Percurso – Os mais de 15 mil manifestantes vão se concentrar na Praça do Rádio às 9 horas e em seguida, descem pela Avenida Afonso Pena, em direção à Rua 14 de Julho e seguem por essa via até a Rua Barão do Rio Branco, retornando à Praça do Rádio onde continuam as manifestações com carro de som e palavras de ordem.

José Abelha Neto, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil – Sintracom, disse que os trabalhadores do setor descerão em peso para o centro da cidade para essa manifestação. Da mesma forma, Geraldo Teixeira de Almeida, da Fetagri, prometeu o mesmo, trazer para as ruas centenas de trabalhadores rurais que aguardam há anos por uma reforma agrária que flua e assente famílias em Mato Grosso do Sul.

Posted in: Destaque