Aposentadoria adiada vai render bônus de até 20%

Posted on 28/05/2012

2


Pela proposta, que já conta com o aval do governo, o segurado não poderá ultrapassar a cota de 20% ou 10 anos a mais de vida laboral. Outra vantagem prevista é o descarte de 30% dos piores salários de contribuição no cálculo da aposentadoria.

“A emenda não acaba com o fator. O trabalhador terá de fazer a simulação e verificar qual das regras é a melhor. A vantagem da 85/95 é que será possível descartar os 30% menores salários, sendo que hoje só se pode excluir as 20% piores”, explica o deputado Ademir Camilo (PSD-MG).

Segundo o parlamentar, à frente da Câmara de Negociação sobre Desenvolvimento Econômico e Social — que trata das discussões sobre a substituição do fator previdenciário —, já há consenso sobre a proteção ao trabalhador que está a menos de um ano de se aposentar, por idade ou contribuição.

“Centrais sindicais e os sindicatos patronais concordaram que o empregador pagará a contribuição previdenciária do operário pelos meses que faltam, caso venha a demiti-lo. No entanto, foi acertado que esse pagamento será feito de forma parcelada, em até quatro vezes. Esse detalhe será ajustado no momento da votação na Câmara”, afirma Ademir Camilo.

TOME NOTA

Pela nova regra, a idade do trabalhador e o tempo de contribuição serão somados. Seriam 85 anos para as mulheres e 95 para os homens — se optarem por se aposentar pela integral.

No caso do trabalhador do sexo masculino, por exemplo, será preciso ter 35 anos de contribuição e 60 de idade. Já as mulheres, por conta da chamada dupla jornada (cuidado com os filhos), teriam que atingir os 85 anos, sendo, por exemplo, 60 anos de idade e 25 de contribuição.

O trabalhador poderá escolher se prefere o fator ou a nova fórmula. Em qualquer uma das hipóteses, será preciso cumprir um dos requisitos para a aposentadoria: 30 anos de contribuição ou 60 anos de idade para mulheres e 35 de contribuição ou 65 de idade para homens.

Fonte: O Dia Online.

Anúncios
Posted in: notícias